Thursday, 24 March 2011

Vamos lá ver se (nos) entendemos...

O debate presidencial continua a desiludir bastante. Três breves notas sobre assuntos que têm surgido constantemente nos debates de forma que me parece profundamente equívoca.

1 – Os fundos. Porque será que ninguém diz o óbvio. Que é uma péssima ideia qualquer candidato aparecer com um fundo. Não é que um fundo de investimento em jogadores seja necessariamente uma má ideia para o Sporting. O que é seguramente mau é um candidato negociar qualquer fundo de investimento quando ainda não é presidente do Sporting. É óbvio que as condições obtidas serão piores: porque diminui o número de potenciais interessados em negociar e investir num tal fundo (negociar com um candidato ou com o Sporting é diferente...) e porque um candidato tem menos poder negocial do que um presidente do Sporting. Um candidato pode e deve formular como acha que deve ser constituído e operar um fundo a criar pelo Sporting mas vincular-se a um fundo com determinados investidores antes das eleições parece-me simplesmente absurdo.

2 – Treinadores. O manifesto diz tudo o que penso a este respeito a que acresce que o que disse antes para o fundo se aplica também aqui. Um candidato tem menos escolha que um presidente (muitos treinadores nem sequer aceitam envolver-se neste “circo”). Até é bem possível que um candidato a presidente preferisse o treinador já apresentado por outro mas como também tem de apresentar um... (imaginem que o preferido do BC e GL era o Rijkard mas que como tinham de apresentar alguém durante a campanha escolhiam nomes diferentes em vez de esperar pelas eleições para negociar quem realmente preferiam?...). O importante era apresentar um mecanimos de escolha credível e diferente que identificasse um perfil e um processo de seleção inovador e que garantisse o máximo de qualidade e proximidade a esse perfil (vejam o que propomos no manifesto).

3 – Remuneração. Continua a bater-se na tecla que um Presidente do Sporting não pode ser remunerado. Isto deixa-nos duas opções: apenas se podem candidatar os que já são milionários ou reformados ou aqueles que têm profissões compatíveis com uma acumulação (normalmente empresários). Isto é uma fonte enorme de potenciais conflitos de interesse. Eu prefiro um presidente remunerado e com regras muito claras que proíbam determinados conflitos de interesse.

Que frustração estes debates....

3 comments:

  1. Caro Miguel,

    De uma forma geral concordo com o seu texto.

    Relativamente ao ponto 1. concordo, embora pense que se houver um candidato que se apresente e diga o que pensa fazer, sem demonstrar que já o tem feito, as outras candidaturas tratariam de o descredibilizar.

    Isso acontece, a meu ver, por 2 motivos fundamentais. Por um lado havendo 5 candidaturas, cada um deles procura não só afirmar-se pela positiva, mas também, destruindo o outro. Por outro lado o facto de esta eleição ocorrer perto do final da época desportiva, tornaria complicado ao vencedor efectivar a sua proposta em tão curto espaço de tempo.

    Relativamente ao treinador, o mal volta a ser haver tantos candidatos, o que leva a que, havendo 1 candidato que apresenta a sua "unha" os outros acabem por ir atrás.

    Relativamente ao ponto 3, não poderia estar mais de acordo.

    Posto isto, confesso que não sei em quem votar. Acho que deve haver uma mudança, mas nenhum dos candidatos me convenceu ser a pessoa certa para o fazer.

    Saudaçoes Leoninas,

    Pedro Barata



    Acho que numa campanha a 5 vozes, dificilmente n

    ReplyDelete
  2. Caro Pedro,

    Partilho da sua angustia. Chamemos-lhe a angustia do sportinguista no momento do voto...
    Não sei, não sei
    O que temo é estarmos de novo perante isto em pouco tempo e com o clube ainda em pior estado.
    um abraço
    Miguel

    ReplyDelete
  3. Hi, nice post. Would you please consider adding a link to my website on your page. Please email me back and I would be happy to give you our link.

    Thanks!

    Frank
    frank641w@gmail.com

    ReplyDelete